segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Coisas que observei no caminho

Cuba é um mundo à parte. Fiquei numa residência credenciada para receber turistas. Casa grande e bonita. Tudo muito antigo, mas muito bem cuidado.
Também há muito cuidado nas palavras do Cubano, quando conversam conosco, brasileiros. Falam muito de cultura, de turismo, mas pouco de política, achei natural. Mas sentem e sabem de nossa curiosidade.
A caravana de Raul cruzou a cidade. Eu, curiosa, queria ver tudo. A dona da casa me pediu que não ficasse espiando. Não era bom para a casa dela, que alguém ficasse colada às grades da varanda, observando o carro do presidente passar.  Eu estranhei. Fosse aqui, todos queriam saudar o presidente. Eu seria a primeira a acenar. Lá, contida, fiquei atrás de algumas plantas de um jardim suspenso, observando os carros da comitiva do general Raul Castro, pensando: em algum desses carros está o quarto homem mais forte da Revolução. Sim, porque estive no Museu da Revolução e vi Raul em todas as fotos, muito jovem, rapazinho mesmo, sempre próximo de Fidel, Che e Cienfuegos. Ele está lá, não porque é irmão de Fidel, mas por direito, a Revolução também veio pelas suas mãos. A nossa imprensa vende a ideia que Raul é puro nepotismo de Fidel. Depois de ver as fotos antigas da Revolução, sem medo de errar, eu diria que Raul está onde a história o contempla: o cargo de comandante na mão do mais novo do grupo combatente.
 ****
Outra observação de uma turista atenta: fiquei impressionada com a musicalidade do cubano. Em todo canto, em toda esquina, escutam música e de qualidade. As crianças são educadas nas escolas para terem musicalidade. E se tiverem apenas três pessoas reunidas para cantar, vão congregar um instrumento de corda, outro percussivo e outro de sopro... E a alegria do cubano tanto em cantar quanto em dançar é contagiante.
 Momento único: dia do aniversário 50 da Revolução, em frente ao Hotel Inglaterra, um grupo cantava de forma linda uma música dedicada a El Che. Comandante Che Guevara, do grupo mais famoso, Buena Vista Social Club.
Adorei. Dancei, cantei e agradeci a Deus momento tão rico. 'Aprendimos a quererte, desde la histórica altura, donde el sol de tu bravura le puso cerco a la muerte. Aquí se queda la clara, la entrañable transparencia. De tu, querida presencia, comandante CHE GUEVARA. Tu mano gloriosa y fuerte sobre la historia dispara, cuando todo Santa Clara se despierta para verte. Vienes quemando la brisa con soles de primavera. Para plantar la bandera con la luz de tu sonrisa. Tu amor revolucionario, Te conduce a nueva empresa, Donde espera la firmeza De tu brazo libertario. Seguiremos adelante, Como junto a tí seguimos, Y con Cuba te decimos: Hasta siempre COMANDANTE!'

Nenhum comentário:

Postar um comentário