quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

El Che...

Ele nasceu na Argentina, viajou pela América do Sul, morou em Cuba, onde ajudou a transformar a política do país e morreu na Bolívia.
Ganhei um documentário de produção ítalo-cubana onde ouvi seus discursos e me apaixonei.
Visitei Cuba, Bolívia, Paraguai, Argentina e o Uruguay. Moro no Brasil. Há tanto que me separa dele. Sua língua, sua visão de mundo, sua coragem. Era um guerreiro. Talvez não fosse o ingênuo romântico que se vende nos filmes hollywodianos... mas um amigo uruguayo, historiador, me contou que foi um bravo até o último momento. Sempre gosto de ouvir as histórias de El Che.
Os Cubanos o idolatram. Os brasileiros o admiram. Talvez quisessem ter um herói moderno como ele.
Mas nos outros países de lingua latina que visitei, El Che não é tao cultuado quanto eu imaginava.
Nao vi na Argentina um só monumento a ele. Vi uns poucos retratos públicos, duas ou três pessoas com tatuagens de seu rosto, mas nada muito significativo...



Já em Cuba há a presença dele em todo lugar, embora nos bastidores se acredita que Fidel tenha ficado aliviado quando ele se foi. Ele ofuscava o brilho de todos.
No Uruguay vi uma Plaza, abandonada, talvez fosse melhor que nem existisse...



Sinto saudades desse homem que morreu antes de eu nascer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário